domingo, 26 de outubro de 2008

50,83% x 49,17%

Olha.

Podem me chamar de mau perdedor. Admito.

Mas metade dos cariocas é burra.

4 comentários:

Barone disse...

O Rio consagrou a vitória da hipocrisia. Não que Gabeira fosse o salvador da pátria, mas certamente representava um pouco de ética em meio ao obscuro cenário da política nacional. Tive a oportunidade de realizar a primeira entrevista pública de Eduardo Paes, no início da década de 90, quando ele foi colocado na sub-prefeitura da Barra por César Maia. Na época, começando na profissão (jornalismo), eu atuava em um jornal de bairro da Barra da Tijuca. Paes era um rapaz tímido, um tanto bobo, parecia não saber bem o que estava fazendo ali, naquela função. O tempo passou e o menino aprendeu o que há de pior na política tupiniquim: a prática do vale tudo pelo poder. Mais uma vez perde o Rio de Janeiro.

Luiz Felipe Vasques disse...

>>Paes era um rapaz tímido, um tanto bobo, parecia não saber bem o que estava fazendo ali, naquela função.

Victor, você acertou na mosca.

De semanas pra cá eu notava que algo que me irritava muito no Paes e era exatamente isso: um ar de menino que vence a timidez gerada por estar jogando entre os adultos, como se precisasse de uma coragem especial para estar lá. Nestes tempos de culto à juventude, penso se isso não influenciou o eleitorado. Ao passo que Gabeira, este com as idéias realmente novas, só de vida pública tem 50 anos.

Tudo errado, enfim. Tudo.

Daniel disse...

Eu diria que quase 50% da população tem mentalidade suburbana, sim, é analfabeta política, sim, e merece todos os oportunistas políticos em quem votaram.

A boa notícia é que o Eduardo Paes também não é exatamente um monstro. É apenas mais um demagogo - talvez um com um pouquinho mais de experiência administrativa, o que sempre é uma coisa boa; mas não passa de mais do mesmo.

Por isso, e só por isso, disse "quase 50%" lá em cima. Porque ainda acho que entre Paes e Gabeira, considerando o resto, até que nos saímos foi muito bem...

Luiz Felipe Vasques disse...

Sim, o pior ainda é isso. Como você mesmo comentou ao resultado do primeiro turno, "dever cumprido".

> A boa notícia é que o Eduardo Paes também não é exatamente um monstro. É apenas mais um demagogo - talvez um com um pouquinho mais de experiência administrativa, o que sempre é uma coisa boa; mas não passa de mais do mesmo

Seria uma excelente descrição do César Maia em início de carreira solo, fora das asas de seu Sire. Foi o cara que, no primeiro ano de sua primeira administração, tirara o Rio do vermelho, herança de Marcelo Alencar, aliás, da mesma progeny. E o resto foi história.

Bem ou mal, Fernando Gabeira não tem nada a ver com esta cepa podre.